Compartilhe nas redes sociais

O que é open banking e quais são as vantagens para clientes e consumidores« Voltar

Investimentos
O que é open banking e quais são as vantagens para clientes e consumidores

Sistema promete uma verdadeira revolução no mundo das finanças, simplificando a vida dos consumidores

Se você acompanha notícias sobre tecnologia ou mercado financeiro, certamente já deve ter se deparado com a expressão “open banking”. Essa expressão, que pode ser traduzida como “banco aberto", pode ser a responsável por transformar a maneira como nos relacionamos com as instituições financeiras.

A proposta é simples: permitir que os consumidores tenham maior liberdade de escolha e possam migrar de uma instituição para outra sem maiores complicações. Em outras palavras, trata-se de uma tecnologia padronizada criada para facilitar a sua vida. Vamos entender um pouco mais sobre esse conceito?

O que é open banking?

Open banking ou sistema financeiro aberto, de acordo com a definição do Banco Central é “a possibilidade de clientes de produtos e serviços financeiros permitirem o compartilhamento de suas informações entre diferentes instituições autorizadas pelo Banco Central e a movimentação de suas contas bancárias a partir de diferentes plataformas e não apenas pelo aplicativo ou site do banco, de forma segura, ágil e conveniente”.

Para entender como esse conceito se aplica na prática, basta olhar para como o sistema bancário funciona hoje. Em muitos casos, uma instituição financeira não é capaz de reconhecer as informações de um cliente vinculado a outra instituição. Isso ocorre devido ao fato que não há uma padronização nas tecnologias envolvidas, o que faz com que algumas delas não conversem entre si

O open banking muda esse cenário. Uma vez que o cliente dê permissão, as instituições estarão aptas a “conversar” umas com as outras, compartilhando a mesma base de dados. Concessões ou proibições de permissões de acesso a esses dados poderão ser solicitadas a qualquer momento pelos consumidores. O cliente pode revogar essas permissões a qualquer momento.

O que muda na prática para o consumidor?

Liberdade de escolha e um leque maior de opções são os principais benefícios diretos que o consumidor perceberá em um primeiro momento a partir da implantação do open banking. Ficará mais fácil, por exemplo, comparar serviços e tarifas e haverá maior integração com apps de planejamento financeiro.

Do ponto de vista tecnológico, o conceito de open banking poderá proporcionar novos modelos de negócio, oferecendo mais agilidade e transparência nas operações. O sistema de pagamentos Pix é um exemplo disso. Transferências e pagamentos que são creditados em conta em tempo real, independentemente das instituições envolvidas, são um grande avanço nesse sentido.

Somente instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central é que podem participar desse ecossistema – a lista completa está disponível no portal da Estrutura de Governança do Open Banking. Os maiores bancos, por exemplo, são participantes obrigatórios do Open Banking para o compartilhamento de dados – o que resulta em mais segurança para os consumidores. O Paraná Banco, é claro, está entre essas instituições.

Portanto, podemos dizer que o open banking, quando implantado em sua totalidade, resultará em maior liberdade e autonomia para os clientes e redução de custos operacionais – algo que poderá ser percebido por meio de taxas mais acessíveis em certos tipos de transação. A definição de custos ficará a cargo das instituições financeiras, mas a medida deve estimular ainda mais a competitividade no setor.

Cronograma de implantação do open banking no Brasil

Atualmente o projeto de open banking está em sua primeira fase no Brasil. Neste momento o foco está no compartilhamento padronizado das informações sobre canais de atendimento, serviços e produtos financeiros tradicionais. A Fase 2, com o compartilhamento de dados do consumidor entre as instituições de sua preferência, desde que com consentimento

Fases open banking

Fonte da imagem: Open Banking Brasil - https://openbankingbrasil.org.br/

A Fase 3, os consumidores terão acesso a serviços como pagamentos e encaminhamento de proposta de crédito, essa fase será feira por etapas. No 30 de agosto de 2021 estarão disponíveis as transferências via Pix, A iniciação via outros meios de pagamento, como contas da mesma instituição, TEDs, boletos e débito em conta e serviço de encaminhamento de propostas de operação de crédito será concluído em 2022.

Por fim, a Fase 4, também chamada de Open Finance que trata da expansão para outros produtos e serviços, está prevista para o dia 31 de maio de 2022. A inclusão de novos dados, que poderão ser compartilhados com novos produtos e serviços, permitirá a adição de alternativas como contratação de operações de câmbio, seguros, previdência privada e até mesmo investimentos. Com isso, as instituições financeiras poderão criar mais produtos e serviços personalizados para os consumidores, aumentando a qualidade do que é oferecido no mercado. *Vale lembrar que as datas estão sujeitas a alterações

Ainda ficou com alguma dúvida fale com um dos nossos gerentes.

Fontes: https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/openbanking

https://openbankingbrasil.org.br